AS VINTE CHAVES MÁGICAS E OS VINTE NÍVEIS - O Vigésimo Nível um livro, uma jornada interna, em busca daquilo que você não se deixa ver. É a descoberta, no reencontro do meu melhor como indivíduo. Clique para ler os livros. No rodapé do Blog.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Vida longa aos noivos!


Uma dos fatos mais inusitados nestes últimos tempos, em um mundo tão conturbado, foi um casamento na Serra Gaucha, onde os noivos e todos os convidados se vestiram ao modelo da animação de Shrek, fazendo com que a diocese revisse as regras sobre trajes. E eu não entendo por que isto desagradou a Igreja Católica. Na Idade Média, contrariando a tradição atual, o vestido de noiva não era branco, mas azul era o símbolo tradicional da pureza; “o traje da noiva deveria refletir riqueza, o poder e as tradições da família dela do que, por exemplo, a personalidade e os gostos. Assim, noivas de famílias abastadas usavam vestidos de cores fortes e tecidos caros, camadas de peles, veludo e seda”. A flor de laranjeira, uma tradição Islâmica foi trazida pelas Cruzadas, que regressavam da Terra Santa; Independentemente da classe social, o casamento era sempre um acontecimento grandemente celebrado.
E hoje, estes noivos vestiram a cultura do mundo que vivemos. Shrek pode ser apenas uma animação, mas por trás daquele “desenho animado” tem uma real história de amor, escrita por um iluminado autor; é uma animação que invoca a honra, o respeito, a harmonia, e... A fé! Sim, a fé em algo muito maior, capaz de aproximar os diferentes e as diferenças.
Os noivos celebraram o seu melhor momento. Viveram intensamente, sua época atual; casamento é festa, é alegria, é a consagração do Amor, abençoado por Deus. Se a fé está além do próprio corpo, por que não estaria da própria vestimenta?
Eu não creio que os noivos desrespeitaram a Igreja Católica. Muito pelo contrário, eu acredito que eles celebraram o que ela tem de mais belo, que é a capacidade de permitir, através da manifestação da alegria, aproximar-se de Deus, e Jesus. Neste caso, representado pelo Padre que procedeu a Cerimônia.
Obviamente que tudo tem limite, mas... Se todos estão de acordo, então é possível transgredir alguns limites legais, para tornar tudo mais alegre, mais fácil, e mais marcante!
A Igreja Católica deveria sentir-se honrada, por permitir que dentro da sua Santidade, Deus se fez presente, nesta alegria, nesta manifestação legítima daqueles que escolheram a fé Cristã, por produzir com louvor toda a exaltação de amor daquele casal, que nem conheço.
Não permitir marcar este rito de passagem como um ofensa, por que não se vislumbra nenhuma desconsideração ao Templo Cristão, não há desacato algum a Deus, muito menos depreciação a fé Católica, exatamente por que eles escolheram casar dentro da Crença e da Doutrina que acreditam. E em sendo assim, eles jamais usurpariam contra si mesmos, no dia mais importante das suas vidas.
Já imaginou se fosse possível casar de smoking preto e vestido branco, em plena Idade Média, quando as noivas vestiam-se de verde ou azul? “E no final da Idade Média, que a gravidez estava em moda e todas as mulheres tinham, no seu guarda roupa, uma barriguinha de grávida postiça, cuja indumentária era indispensável para uma noiva?”
Pois então, são os tempos!
E em momento algum nem na Idade Média, nem agora, nenhum casal deixou de publicar com louvor, este ato solene de união, abençoado por Deus, dentro de uma de suas moradas.
Vida longa aos noivos!
 

Nenhum comentário:

O Vigésimo Nível - Clique para ler

Uma Amor Para Lembrar - Clique para ler

O Poder da Intenção - clique para ler

O Vigésimo Nível no BUSCAPÉ

Compare e compre: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Saraiva

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Cultura

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui